quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Certo e sabido

É certo e sabido que a vida nem sempre corre por gosto. É certo e sabido que por vezes nos cansamos. De lutar. De esperar. De amar. De perdoar. Mas o que é certo e mais do que sabido é que a vida tem volta. Há sempre uma volta a dar na vida. Seja ela de 90.º ou de 180.º. Mesmo de pernas para o ar, há-que agir, há-que continuar. Este ano a minha vida deu algumas voltas. Por vezes bem dolorosas, mas baixar os braços não é solução. Há-que partir para a aventura, e agarrar o medo de frente, e (com)paixão. Nos últimos tempos fecharam-se-me algumas portas (com trinco). Mas abriram-se janelas inesperadas. 
Quando penso neste meu projeto, consigo sonhar mais alto. Consigo ver mais à frente. Consigo olhar para trás e ver tudo desfocado, já a meio-gás. A vida vive-se para sentir emoções fortes, sejam elas adrenalina pura, medo do desconhecido, nostalgia, ou amor desenfreado. Tudo me corre nas veias. E vem de todo o lado.
Espero que gostem do resultado de muitas horas de trabalho, de suor, e de amor à camisola.
E quando podemos juntar a família, tudo se consola. Até a mais cética das emoções anda aqui aos tropeções.







































































































É certo e sabido que estou mais do que agradecida:
Aos meus filhos, Sebastião, Manel e Zé Maria, que foram os reis do Zoo mais queridos que existe.
À Carlota, Maria Inês e Maria Isabel, por terem sido princesas e fadas por um dia.
Ao Zoo de Santo Inácio por ter contribuído de forma generosa para este cenário de sonho.
À Pisamonas, por ter calçado todas as mini estrelas desta sessão com os sapatos mais giros que há.
À Mião, pelas fotografias simples, bonitas e carregadas de bom gosto e talento.
À Teresa e Sofia, pela paciência de santo e pela ajuda preciosa.
À minha designer preferida, por saber sempre aquilo que eu tanto gosto, e por nunca desistir do nosso projeto!