segunda-feira, 31 de março de 2014

Castelo sem Rei

Foi a pergunta que mais vezes fez o S., neste fim-de-semana que passou...Mãe, este Castelo não tem Rei? Pois é, depois de dois dias a dormir em Alter-do-Chão, uma aldeia que nos aqueceu o coração, difícil foi ficar indiferente ao seu Castelo e à imponência das suas muralhas. Sem dúvida, o que o S. mais gostou foi acordar e ver o castelo ali tão perto. Tenho a certeza que passou o tempo todo a magicar histórias e memórias na sua cabeça, sempre a olhar para a janela.
- O que é que gostou mais no fim-de-semana, Titão?
- Foi do Castelo sem Rei, Mãe!
- Sem Rei? Porque é que diz isso, querido?
- Viu lá algum Mãe? Eu não vi!!!
O Sebastião só descansou quando as muralhas atravessou. Um poço mágico no meio do jardim, um cheirinho maravilhoso a relva e, talvez, a jasmim, e um Castelo muito bem recuperado, que juro que parecia encantado.







 
São estas lembranças que, repito, gostaria de deixar aos meus filhos quando estes crescessem. Gostaria que o Sebastião, daqui a 30 anos, ao voltar ao Castelo, dissesse à mulher e aos filhos que já tinha lá ido com os Pais e o mano, quando só tinha 4 anos, e que se lembrava muito bem que tinha adorado. Gostaria que o S. tivesse esse Fado!
Mas Alter-do-Chão, nesta altura do ano, não é só Castelo! É migas de pão, rojões deliciosos, bacalhau cozinhado com paixão. É paisagens a perder de vista, cores intensas que pintam o céu, cavalos que se guiam mesmo quando está escuro como breu. É palha húmida e adocicada, chuva que molha a terra molhada, e sol que se põe ao lado das nuvens carregadas. É cavalos e vacas ordenadas, póneis tão pequeninos que mais parecem fadas, é luz irrequieta, cheiro inquietante, é sombra e sossego expectante.










 
Sempre gostei do Alentejo, mas confesso que nunca o tinha experimentado nesta altura. Fiquei extasiada com o espelho de água azul, o verde a saber a verde como a verdura dos campos, da berma das estradas, e do topo das árvores. O nosso país é lindo, e o grande culpado é, sem dúvida, o Alentejo.
Chegados a casa, o S. pergunta quando é que vamos voltar para o Castelo (sem Rei), e eu, sem pensar, apenas disse que Castelos há muitos, e que o nosso é que é um verdadeiro Castelo de Encantar. Pirosa, não? Era bom que a vida fosse sempre assim, um verdadeiro conto de fadas.
E por falar em contos de fadas, já leram o primeiro Conto Infantil Maisena?

 

domingo, 30 de março de 2014

A História do Benjamim que não queria ir à Escola.

Era uma vez o menino Benjamim. O Benjamim tinha 5 anos, era magrinho, tinha duas covinhas, e usava o cabelo à tigela (mas um pouco desordenado). O Benjamim era muito bonito, inteligente e organizado. Gostava de fazer desenhos, construções de legos, e adorava jardinar com os Pais e a mana mais velha, a Violeta. Mas o Benjamim não gostava de ir à escola. Não sabia bem porquê, mas a verdade é que, apesar de já ter 5 anos, chorava cada dia que passava. E chorava, chorava...Chorava para  acordar, chorava para o pequeno-almoço tomar, chorava para se vestir, chorava para à rua sair. Até chorava mais que a mana pequenina, a Amelinha. Ou porque a barriga lhe doía, ou porque estava a chover, ou porque simplesmente não queria, ou porque tinha medo de se perder...
Até que um dia, a Mãe desistiu. A Mãe desistiu de obrigar o filho a ir à escola. E o Benjamim, feliz da vida, passou a ficar em casa. De manhã até à noite, o Benjamim não ia a lado nenhum. Brincava sozinho, via desenhos animados sem ninguém, pintava devagarinho, fazia construções e pistas de comboio sem desalinho, mas sem saber que, mais cedo ou mais tarde, iria precisar da companhia de alguém!
A verdade é que, nos primeiros tempos, o Benjamim sentia-se bem. Mas à medida que o tempo ia passando, o Benjamim ficava ansioso que chegasse o fim do dia, para as manas chegarem, a respirar alegria. Ao fim-de-semana, as manas iam para as festas dos amigos da escola, e o Benjamim ficava em casa com os Pais, sem nada para fazer, porque com os seus brinquedos já não se conseguia entreter. O Benjamim acabou por ficar sem amigos. E quando começou a perceber que estava sempre sozinho, e sem fazer nada, entrou em  desatino, e ficou mais triste do que a noite escura e gelada.
Um dia, numa bela manhã de sol, o Benjamim passou pelos seus antigos amigos da escola, que iam à praia com a Professora.
- Olá! - diz o Benjamim, muito contente.
- Quem és tu? - Responde um menino impaciente.
- Sou o Benjamim, já joguei contigo à bola!
- Ah! Já sei! Foste aquele menino que saiu porque não gostava da escola!
- Pois fui... - sussurra o Benjamim, a olhar para o chão.
- Diz-me uma coisa, Beija-Flor...
- Benjamim! - diz, ainda em tom brincalhão.
- Ou isso....lá onde estás, tens alguém com quem brincar?
- Não... - responde, já com ar ameaçador.
- E tens alguém para os números e letras te ensinar?
- Não tenho, não...
- E tens algum menino com quem os brinquedos possas partilhar?
- Só à noite, com as minhas manas...
- E agora tens alguém com quem possas à bola jogar?
- Também não - começa o Benjamim a soluçar...
- E, já agora, tens alguém que te ensine a cantar?
- Não, snif... - e o Benjamim começa a chorar.
- Não chores Benjamim, ainda vais a tempo de para a escola voltar! - Diz o menino, arrependido por ter sido muito severo com o amiguinho, que chorava sem fim.
E o Benjamim deu meia volta, sem para trás olhar.
Nesse dia à noite, quando a Mãe chegou a casa, o Benjamim perguntou se ainda ia a tempo de para a escola voltar:
- Prometo que nunca mais faço perrices para vestir, nem para dormir!
- Nem para tomar o pequeno-almoço, nem para lavar os dentes? - pergunta a Mãe, toda contente.
- Não Maínha! Vou começar a fazer tudo sozinho, tal como a Violeta. Vou ser o seu aprendiz! - responde o Benjamim, já senhor do seu nariz.
- Posso ir já amanhã Mãe? Posso? Posso? Posso?
- Amanhã não que é sábado, querido. Mas na segunda-feira a Mãe vai falar com a sua Professora, para o Benjamim voltar para a escola!
E na segunda-feira lá foi, feliz, o Benjamim, de mochila às costas, cheio de vontade de aprender, de com os amigos conviver, e, acima de tudo, de crescer. Porque escola é vida. E todos os meninos, de uma forma ou de outra, vão para a escola da vida.


Fim.


Apresento-vos o Benjamim!
A personagem principal dos Contos Infantis by Maisena
Ilustração: Francisco Ortigão Costa


 
 (Todo o copyright ou outros direitos de propriedade intelectual presentes no texto, imagens, e outros conteúdos do blog são propriedade Maisena)

 

quinta-feira, 27 de março de 2014

Sunday Walk

Com tantas e tão boas fotografias, difícil foi escolhê-las. O sítio é de sonho. A companhia, mais que perfeita. A banda sonora também não podia ser melhor. E as Lagoas de Ponte de Lima estão aqui tão perto! Um segredo muito bem guardado, não contem a ninguém, Maisenas! É que mesmo num domingo ensolarado, poucas foram as pessoas com quem nos cruzámos neste nosso passeio de quase 6 quilómetros. Quem se cansou mais foi o Titão, coitadinho, que lá deu aos pés, sem pedais. Chegou ao carro e nem mais um ai ou ais. As imagens falam por si, e não precisam de muitas palavras para transmitir a calma, a serenidade e o equilíbrio que sentimos ao longo do nosso percurso a pé.
Pontes de madeira sobre a água-chão, abrigos de passarinhos em desatinos, casas em cima de estacas, dignas de ferir qualquer coração, e lá estávamos nós, perdedores de amores por aquela vista. Não, não estamos no Oriente. Estamos em Portugal Continental, bem a Norte, numa terra muito especial. Já aqui vos falei acerca de Ponte de Lima, que é muito mais do que o seu centro histórico tão cozy, a sua ponte tão romântica, ou a sua gastronomia de chorar por mais. Estas suas Lagoas, são talvez dos sítios mais bonitos onde já levei a minha família a passear. E não é preciso viajar para longe e gastar rios de dinheiro para vivermos uma pequena aventura. Chegámos ao carro já quase de noite, o Mogli ainda apanhou um susto com as vacas, e o M. pôs o pé, a mão (e até o queixo) numa poça de lama, qual água choca.
Uma coisa é certa: podemos inundar os nossos filhos de coisas quotidianas e mundanas, mas o que fica na sua memória, o que fica mesmo para a história, são estes passeios em família. Sei que um dia mais tarde, os meus filhos vão recordar estas nossas aventuras com um sorriso nos lábios, com uma imensa saudade, e com uma vontade louca de voltar!
 
 





 







Fica a dica para o fim-de-semana que já está à porta, Maisenas Nortenhas! Mas não se esqueçam que é um segredo muito bem guardado...Shiuuuu, não digam a ninguém!

quarta-feira, 26 de março de 2014

Verão Físico!

O Verão físico deve ser preparado o ano todo. Todos os dias devemos preparar a chegada do Verão nos nossos corpinhos Danone (à nossa maneira, é claro!). Não estou aqui a falar em exageros, nem em fundamentalismos. Hoje em dia ouve-se falar imenso nos sumos e nas dietas DETOX, com sumos verdes XPTO, cheios de ingredientes difíceis de arranjar. Eu adorava poder experimentar essas receitas, um dia destes...Mas agora digam-me, Maisenas, quantas de vocês é que têm tempo para, de manhã, prepararem esses sumos para lá de complicados? Eu confesso que não. Ao fim-de-semana talvez, mas no corre-corre da semana é impossível. Para além disso, o meu querido pequeno-almoço tem que ter pão, manteiga, compota, sumo de laranja (Compal, é natural...) e café com açúcar, sob pena de eu andar na mó de baixo o resto do dia. Adoro as fotografias daquelas receitas deliciosas que as famosas publicam no instagram, cheias de iogurte, muesli, goji, e frutos vermelhos, mas o problema é que passada meia hora já estou cheia de fome...para mim, não dá! Pequeno-almoço que é pequeno-almoço, tem que ter Pão (escuro, é certo, mas não deixa de ser Pão!). Se for as duas coisas, ainda melhor!
Quem sou eu para vos dar conselhos de nutrição, mas sempre aprendi que se deve comer um bocadinho de tudo. Nada de dietas rigorosas para, depois de acabadas, se voltar ao peso de antes, porque é impossível estarmos em dieta a vida toda! Eu nunca precisei de fazer dieta, porque sempre tive cuidado com a linha, todo o ano. A genética ajuda, é certo, e é certo também que ninguém é perfeito, mas se comermos equilibradamente e se conseguirmos tirar partido daquilo que temos de bom, e disfarçar o menos bom, seremos muito mais felizes connosco próprias. Se eu não gostar de mim, quem gostará? Comer um bocadinho de tudo, eis o segredo mais antigo para se manter a linha. É claro que se juntarmos essa dica aos dois litros de água por dia (check!), ao exercício físico (nem que seja passeios com carrinhos de bebés), aos cremes e mais cremes e à boa-disposição, é ouro sobre azul. Para se inspirarem, comecem a espreitar o making-off da colecção de sonho da LATITID e vão ver que tudo será mais fácil!
E por falar em cremes e mais cremes...lembram-se de vos falar sobre a Xhekpon? Pois muito bem, depois do sucesso do post sobre esta marca espectacular, eis que tenho uma surpresa para todas o Verão podermos preparar! A Xhekpon está solidária com todas as mulheres portuguesas que querem chegar ao Verão no seu bikini de sonho (LATITID, de preferência...). Por isso, e porque já estamos quase em Abril, e os nossos corpinhos Danone devem ser preparados todo o ano, a Xhekpon tem para oferecer à Maisena mais sortuda o creme de corpo reafirmante que, através da acção do colagénio, que ajuda a pele a não perder elasticidade. Conhecem algum creme de corpo reafirmante com colagénio? Eu conheço poucos, mas com este preço não conheço nenhum! Pois muito bem, para verem, com os vossos próprios olhos, como eu tenho razão, basta:
- Fazer like na página Maisena;
- Fazer like na página Xhekpon Portugal;
- Partilharem a imagem do giveaway no vosso mural, sempre na opção público;
- Colocarem o nome de 3 amigas como comentário na imagem do giveaway.
 
 
 
 
O sorteio via random será realizado no próximo dia 6 de Abril, sendo apenas válida uma participação por pessoa.
Boa sorte, Maisenas, e já sabem, comecem a preparar os vossos corpinhos Danone para o Verão, ele está aí à porta!
 
 

segunda-feira, 24 de março de 2014

Plantar a Primavera

Apesar do frio e da chuva que ainda não nos largaram de vez, este fim-de-semana já conseguimos plantar a Primavera. No sábado, e depois da minha aula de yoga purificadora, rumámos novamente a Norte, para o nosso campo preferido. Fomos sem pensar, com meia dúzia de sacos às costas, e muita vontade de descansar. A chuva, apesar de tudo, deu-nos tréguas, e estivemos todo o dia lá fora, a mexer na terra, nas minhocas, a espreitar as toupeiras, tão matreiras, e a plantar sementes de capas de revista.
Sim, capas de revista. Quem também plantou a Sábado no jardim? Um ideia fabulosa, que nos trouxe um programa ecológico e com futuro. Os miúdos adoraram, e nós também! Mas além de termos plantado, no sábado, a Sábado, também semeámos flores e ervas aromáticas para o nosso mini jardim do Porto. O S. Pai queria ser jardineiro quando fosse grande, o S. filho diz que não quer ser jardineiro, simplesmente porque já o é!




 
 
 


 


 
Mas nem rodeados de sementes e terra passámos a nossa tarde de Sábado. Fomos também buscar mais peixinhos e dar-lhes uma nova casa, com mais espaço e mais amigos para brincar. O tanque lá de casa, lá do campo, já tem peixinhos de todas as cores, feitios, e tamanhos. E não há um único que não tenha sido baptizado pelo Mogli:
- Aspirador
- Balde
- Vassoura
- Apanhador
- Café
- Chocolate
- Bolacha
- Cenoura
Eis os nossos peixinhos adoptados, que crescem a olhos vistos, vêm ao de cima quando os chamamos e vivem felizes, ainda que muitas vezes o seu jantar seja uma mosca morta... Não é por acaso que são os nossos peixinhos da horta!
 


É só pena que o Bolinha coma mais pão do que os próprios peixinhos!
Casacos e macacões dos boys by Kiddos
Body M. by Maria Bebé
 
Foi um programa saudável, feito de ar puro e com os passarinhos e as cigarras a fazer de banda sonora. As formigas também andaram a trabalhar nas casas desfeitas pela chuva, e até as toupeiras resolveram escavar no jardim coberto de orvalho. O barulho da água gelada e o cheirinho a terra molhada inspirou-nos tanto que, no dia seguinte, pusemo-nos à estrada....Mas isso, Maisenas, fica para amanhã!


Já vos disse que adoro o campo e as coisas boas que a terra nos dá? 


 

sexta-feira, 21 de março de 2014

Ai que crescido que eu estou!

Hoje o post é curto, simples e directo. É mais um pedido de ajuda vindo directamente dos Bebés de S. João, instituição que eu tanto gosto e admiro.
O que a Bebés nos está a pedir com a campanha "Ai que crescido que eu estou!" é que este mês arrumemos a roupa dos nossos filhos para levarmos o que já não serve, mas que está em bom estado, aos Bebés de S. João. A verdade é que estão a sentir uma imensa falta de roupa entre os 12 e os 24 meses.
Este fim-de-semana, que se prevê de chuva, é uma óptima desculpa para ficarmos em casa a separar a roupa dos nossos filhos. Mãos à obra, Maisenas! Apesar de o calor ainda não ter voltado para ficar, as lãs vamos arrumar. Lá em casa, divido a roupa que ainda acho que lhes vai servir para o ano da que só servirá ao próximo bebé que (eventualmente) vier. Depois, dou nomes a todos os caixotes (por ex. Primavera-Verão 2-3 anos Sebastião) e tudo lá para cima para os arrumos, já bem lavadinho e com cheirinho a lavanda e a alfazema. Dica: Nunca guardem nada com nódoas, porque depois nunca mais saem! A roupa que eu sei que não ficará para o próximo e que já não lhes serve (desde que não tenha borboto, nódoas difíceis ou que não pareça ter sido comida por ratinhos...) vai directamente para estes Bebés de S. João que não têm a sorte que os nossos filhos têm. Não têm a sorte de ter tudo e mais alguma coisa. Não têm a sorte de ter um quarto todo azul ou cor-de-rosa à sua espera quando saem da Maternidade. Não têm a sorte de ter roupa por estrear. Não têm a sorte de ter carrinhos e ovinhos a brilhar. Não têm a sorte de ter tanta roupa que o difícil para as suas Mães é mesmo escolher. Por isso, Maisenas, para todos os Bebés que não têm essa sorte, vamos tentar ajudar com aquilo que podemos, tentar dar-lhes uns primeiros dias quentinhos e felizes. Depois do sucesso da primeira campanha divulgada aqui no blog, não tenho dúvidas que os meus queridos Maisenas vão continuar a mostrar ao País que somos uma família muito solidária, altruísta, e generosa!
Porque não consigo imaginar um bebé recém-nascido a passar uma qualquer dificuldade. Dói demais para ser verdade. Partilhem, por favor, vamos minimizar esta dor!
 
 
 

Vamos ajudar, sim?






 
Nota: Para qualquer contacto, enviem por favor um email para aqui ou liguem directamente para o 22 0919188 (dias úteis das 10h00 às 12h30).


quinta-feira, 20 de março de 2014

Primavera, uma nova era!

Não é por acaso que hoje também é dia do Sebastião (desta vez do grande) lá de casa. Não está um sol radioso, mas o mar já cheira a Verão, os passarinhos já não cantam em vão, as cores das flores e das folhas já nos enchem a alma e o coração. Dia perfeito para celebrarmos a Felicidade (sabiam que hoje também é o seu dia?). Lá por casa o dia vai ser de saudade, pois o Pai menino dos anos não está, mas podemos na mesma celebrar a vida, a Primavera, e esta nova era que aí vem. É claro que o dia podia ser melhor se estivéssemos os 4 juntos, mas o segredo da Felicidade é tirar partido daquilo que a vida nos dá. Não podemos jantar juntos? Não faz mal...acordámos mais cedo, sem preguiça nem medo, e lá fomos nós tomar o pequeno-almoço a 4, junto ao mar. E sabem que mais? Já nos deu uma óptima energia para enfrentar o dia, junto à maresia, às gaivotas, aos barcos que seguiam apressados, e nós ali, em frente ao mar, a sossegar. O tempo parou, nessa meia hora, e não quisemos saber de mais nada, porque era o nosso único momento a 4 do dia, que nos soube pela vida. Foi uma verdadeira bênção, neste dia do Sebastião. Parabéns Maridão!

Não, não é o Titão, é mesmo o Pai Sebastião!
Iguais, não são?

Neste dia também da Felicidade, vamos lançar um desafio a nós próprios. Contar cada bocadinho feliz, em cada dia, em cada hora, em cada minuto ou mesmo em cada segundo. Logo verão que temos toneladas de momentos felizes que nos invadem o coração. "Count our blessings", eis o desafio que vos lanço. Hoje já tivemos muitos deles: Para além do pequeno-almoço com sabor a mar, já tivemos o brilhozinho nos olhos dos miúdos a darem mais um presente ao Pai, já tivemos a alegria estampada no Pai menino dos anos, com tanto orgulho nos filhos que tem:
- Mãe, o Pai faz 3 3 anos??
- Faz pois Ticos, já viu que giro, é uma capicua!
- Uma quê, Mãe? Oh, não pexebo nada...como é que eu, que já fiz 4, tenho mais anos que o Pai???
 
Entretanto, ontem, no Dia do Pai, e como este Pai já sabia que hoje ia falhar o dia, mais uma vez contornou a situação por cima, tirou a tarde, e rumou a um programa diferente, só entre Pai e Filhos. Mais um "blessing" no seu dia. Querem ver o resultado? Eis a brincadeira: como construir uma pista de comboios em menos de uma hora!
 
Camisa com capuz Pendant. Adoro!

  
 
 
 
video

O máximo, não? Um programa entre Pai e Filhos (ok, ok.. o Pote de Mel ainda destrói mais do que constrói...) que me dá uma certeza muito grande na vida: Tenho uma sorte dos diabos, por ter estes três anjos ao meu lado. Um de 3 3, outro de 4 (que se acha o mais velho!) e outro de 2!
E por aí, já contaram as vossas blessings, Maisenas? Não se esqueçam que vem aí a Primavera, e com ela uma nova era: a era da Felicidade! É, ou não é verdade?