segunda-feira, 15 de abril de 2013

Keep calm and...Jet Lag

Na sequência daquilo que vos falei ontem, hoje acordei com outra atitude perante a vida! Levantei-me ainda mais cedo e sem me queixar, cumprimentei o sol madrugador que me entrou no quarto sem pedir licença, tomei banho a cantar (ainda que muito mal) e preparei um pequeno-almoço digno de príncipes e princesas. A família toda acompanhou-me neste desafio e a pressa da manhã correu muito melhor!


 
À hora de almoço e com um chapéu improvisado....ainda deu para aproveitar um bocadinho do sol e fazer aquilo que os miúdos mais gostam: jardinagem!
 
 
O fim do dia lá em casa sempre funcionou uma hora mais tarde...chegamos uma hora mais tarde do que a maioria das famílias...o S. e o M. tomam banho uma hora mais tarde, jantamos em família uma hora mais tarde...e os bebés também acabam por se deitar uma hora mais tarde...e durante muito tempo martirizei-me por causa disso...mas são vicissitudes da vida e do emprego que o Pai S. e eu escolhemos. Mas depois pensei: e se eu desse mais valor àquilo que eu tenho de positivo no meu dia-a-dia, em vez de estar sempre a pensar nas coisas que correm menos bem? A verdade é que eu tenho o privilégio de poder almoçar com os meus filhos, todos os dias! E apesar de não os poder ir buscar à escola, posso sempre contar com a minha Mãe, que está sempre disponível e que tem uma paixão infinita pelos netos! E posso ir levá-los a pé! Isso também conta!
Não me esqueço de ouvir a história da enfermeira que acompanhou o M. na sua primeira noite na incubadora (um dia ainda vou fazer um post sobre isso), que me disse que só trabalhava à noite...e que tinha um filho com 4 anos. E eu, admirada, perguntei: Mas não lhe custa não estar em casa quando o seu filho acorda de manhã? A enfermeira, muito convicta, respondeu-me de seguida: "É claro que me custa não estar em casa para dar um beijinho de boa noite ao meu filho, e não sentir o seu mimo de sono quando acorda, mas tenho o privilégio que muitas Mães não têm, de o poder ir buscar à escola, todos os dias, às 16h00...e isso compensa tudo!" Mas porque é que eu não pensei nisso antes? Por isso é que vos digo, Mães hospedeiras, médicas, enfermeiras, advogadas, professoras, juízas, e todas as profissões com horários e vidas mais difíceis, não se martirizem, porque cada profissão é uma profissão e tem sempre qualquer coisa de melhor em relação às outras, como tudo na vida! O que é preciso, é pensar positivo, sempre.
 
 
 
 
 
E para as Mães dos filhos que dormem mal, noite após noite, e que andam sempre com a sensação a que eu chamo "Jet Lag" - pois parece que estão com os horários trocados depois de uma viagem de longo curso -, e que por muitas tentativas que façam, por muitos conselhos que ouçam, por muitas experiências que vivam....os bebés não vos dão descanso, pensem que não estão sozinhas neste mundo, e que tudo isto não passará de uma fase! Quando os miúdos crescerem ainda vamos ter saudades destas insónias forçadas (ou se calhar não....) De qualquer forma, e como não sou grande adepta do método Estivil (mas não critico quem o seja, pois deve andar com bem melhor cara do que eu...), ainda tenho uns largos meses - para não dizer anos - de tortura de sono pela frente (dizem que é a pior tortura, e eu acredito piamente...). Mas tento sempre, sempre pensar que:

                                                       
                                                 
 
 Para todas as Mães Jet Lag que, tal como eu, há anos que não sabem o que é uma noite inteira de sono tranquilo, aqui vai um beijinho cheio de força (ainda vou criar um grupo Jet Lag no FB, para as Mães nocturnas não se sentirem sozinhas...) Por isso é que, quando me chamam Mãe Coruja, eu penso que não há melhor adjectivo que neste momento me possam dar! Quem está comigo?
 

 
 

11 comentários:

  1. Eu alinho no grupo das mães com Jet-lag no FB!!! Há 14 meses que sei bem o que isso é :) Beijinhos e parabéns pelos posts. Ana

    ResponderEliminar
  2. Olá Francisca! Durante 12 anos fui auditora numa das big 4, trabalhei muitas noites e muitos fins de semana...Havia semanas em que não jantava com eles uma única noite...mas aprendi que sempre que estávamos juntos tínhamos de aproveitar ao máximo!!! E sempre fomos felizes ! (É tudo uma questão de como encaramos a vida!) Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo Sofia! Adorei o seu comentário :) Beijinhos

      Eliminar
  3. Adorei o texto...e realmente temos mesmo que ver o lado positivo, porque existe sempre um lado positivo...Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Adorei o "mães jet-lag"!!! :) :) Acho que faço parte desse grupo, o meu filho já tem 3 anos... e posso contar pelos dedos das mãos, as vezes em que ele dormiu uma noite inteira de seguida. Enfim, mas nem tudo é mau, e tal como disse, são fases... e eu acredito que vai passar. É muito cansativo, mas o resto compensa, e eles são o melhor da vida.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Aprendi a muito custo a olhar para o lado positivo das coisas, tal como os Monty Phyton cantavam na "A Vida de Brien" Always look on the bright side of life, e aprendi que isso vale mesmo a pena. Fiquei sem emprego, fiquei muito traumatizada, e pensei que o meu mundo acabava ali...mas afinal, começava! Tinha a minha filha a tempo inteiro, e tinha o meu tempo para me dedicar ao que mais gosto: Família e o meu projecto pessoal. Se o dizia Fernando Pessoa "Pedras no caminho? Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo" e eu construí o meu cheio de amor e felicidade. Todas as coisas na vida têm o seu lado positivo, basta deixar de olhar para baixo, pois o sol brilha no alto!

    Gostei muito <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro os Monty Python Dizaine! Obrigada pelo seu comentário, adorei!! Beijinhos

      Eliminar