quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Saber viver

Passamos a vida a queixarmo-nos. Ou é porque trabalhamos de mais, ou é porque trabalhamos de menos. Ou é porque está muito frio, ou é porque está muito calor. Ou é porque os nossos filhos não dormem, ou é porque não comem. Ou é porque fazem birras de manhã, ou é porque choram à noite. Ou é porque ganhamos pouco e o país está em crise, ou é porque ganhamos muito mas não temos tempo para aproveitar o país para além da crise. Há sempre qualquer coisa de que nos queixamos. Sempre.
Agora, vou-vos lançar um desafio. Sempre que nos acontecer uma coisa menos boa, vejam o reverso da medalha, o outro lado do pau de dois bicos. Porque há sempre alguma coisa por que temos que agradecer, e por que temos que dar valor, para além das nossas queixas e queixumes.
Lembram-se do Rodrigo, daquele miúdo lindo, que mais parecia um anjinho e que já cá não está? Pois bem, eu penso nele vezes sem conta. E penso na Mãe do Rodrigo, que já não o tem. Cada vez que os meus filhos se portam menos bem, comem menos bem ou dormem menos bem, eu penso: "Estou para aqui a queixar-me, mas há tantas Mães que davam tudo para estar na minha posição!"
Não sou psicóloga, nem psiquiatra, nem psi qualquer coisa, mas aprendi que muitas pessoas (incluindo, muitas vezes, eu) não sabem viver a vida. Não sabem dar valor a momentos mágicos, únicos e imperdíveis. Passam a vida a queixar-se disto ou daquilo, coisas sem importância, assuntos sem relevância, que amanhã passam sem V de volta.
Olhemos à nossa volta, e façamos uma lista das coisas boas que temos na vida. E se nos falta alguma coisa, há outras que nos compensam! O que interessa é que se viva de coração, com uma pontinha de razão, mas com muita, muita paixão!
Da próxima vez que vos perguntarem: "Então, tudo bem?", façam-me um favor, não digam: "Vai-se andando" ou "assim assim". Experimentem antes dizer: "Tudo óptimo, maravilhoso, e por aí?" Dêem apertos de mão vigorosos, abraços saudosos e beijinhos saborosos. Riam. Dêem gargalhadas, soltem risadas, vivam os nadas. Porque os nadas podem ser muito. E a vida pode mudar num segundo...
 
 
Até o Snoopy já sabe mais que nós ;)
 
E agora vou aproveitar a vida e preparar uma noite especial de leitura obrigatória, com uma banda sonora sem igual e que nos aviva a memória.
Aqui fica a dica para hoje. Porque não, Maisenas?
 
 
P.S. Vou-vos contar um episódio que se passou cá em casa esta semana, e que espelha bem aquilo vos falo hoje. O M. caiu abaixo da cadeira da cozinha. Assim, num milésimo de segundo, pode mudar o nosso mundo. Graças a Deus caiu bem, soube cair, e não teve nada. Mas assustei-me, e resolvi ligar para a linha Saúde 24. A maioria dos portugueses tem tendência para dizer mal do Sistema Nacional de Saúde, dos hospitais públicos, do atendimento dos funcionários, etc e tal. E realmente há casos assim. Mas também há histórias felizes, de pessoas competentes e coerentes que tornam o nosso mundo melhor. Fui maravilhosamente bem atendida pelos enfermeiros dessa linha. Fizeram-me todas as perguntas possíveis e imaginárias, mantiveram-me calma e serena, avaliaram a situação e deram-me o relatório final. Passadas 8 horas, ligaram-me a perguntar como estava o menino M. Fiquei absolutamente espantada com a eficiência e profissionalismo deste serviço. Por isso, Maisenas, o nosso país também tem coisas boas. Há que saber dar valor!
Ah, e para quem não sabe: 707 24 24 24, sempre que precisarem, já sabem (espero que não precisem...)
 

6 comentários:

  1. Querida Maisena... tento sempre pensar nisso também. Se não te importas vou referenciar este texto no meu blog para que quem me lê, possa ler também.
    Beijinhos, boa noite e obrigada por estas palavras!

    ResponderEliminar
  2. É isso mesmo :) Nada como encarar a vida numa perspectiva mais positiva. Neste momento tenho tendência para pensar duas vezes (quando algo corre mal) e tentar ver o lado bom.
    Acho que é algo que se treina e que facilmente nos vamos habituando. Um dia destes já vou pensar automaticamente nas coisas boas sem pensar que está tudo a correr mal e que só a mim é que me acontece.
    Joana
    www.lovelab1.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Olá,
    Também já tive um caso, com a minha princesa, do género. Lembrou-se de beber um produto de diluir a cera dos ouvidos (tipo benzina).... Fiquei bastante aflita e liguei para a linha saúde 24. Perguntaram se bebeu muito e pediram para cheirar a roupa dela e verificar o sítio onde ela estava para saber se o tinha virado em vez de ingerido. No final disseram que não haveria problema, visto a quantidade ingerida ter sido pouca, mas deram-me um relatório de como proceder nas horas seguintes caso alguma coisa acontecesse. Também me voltaram a ligar mais tarde para saber se estava tudo bem e o atendimento e simpatia foram fabulosos. Isto já foi há 3 anos, e graças a Deus não voltei a precisar utilizar a linha, mas desde então recomendo-a sempre.
    É de facto muito bom saber de outras experiências positivas, é sinal que é um serviço bem prestado não apenas por certos elementos, mas por toda uma equipa que desempenha com gosto e bem o seu trabalho!!! Todos merecemos ser congratulados pelos nossos serviços bem prestados e não apenas apontados quando tudo corre mal!
    Beijinhos e tudo de bom ao M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por também partilhar connosco a sua experiência Tita :)

      Eliminar