sexta-feira, 24 de julho de 2015

A 4 e meio

Já passou mais de um mês, e a nostalgia que me invadiu ao rever as fotografias não tem palavras. Esta quadra de gente feliz vai aumentar, e as férias a 4, com tudo mais ou menos programado, muito bem pensado, e com um Pai para cada Filho acertado, vão acabar! É claro que vamos para melhor, mas não deixa de ser um pouco assustador! Se as férias com 2 já são cansativas, nem imagino o que sejam com 3! Logo este ano que foi o primeiro, em 5 anos, que não levamos chupetas, fraldas, cama de viagem nem biberons na bagagem. E eu pensei cá com os meus botões...se não estivesse já à espera do nosso querido Zé Maria, não sei o que faria! Não sei se teria coragem para passar por tudo outra vez... Mas 3 foi mesmo a conta que Deus fez.
Para o ano já estamos a pensar em voltar aos Açores da nossa memória. Para que o Zé Maria não pense que é só história. Queremos levar os 3. O Zé Maria às costas, os mais velhos a pé, ao colo, às cavalitas, whatever! Queremos é partir numa aventura a 5 e voltar a descobrir!
Até lá...fico-me com as fotografias de umas férias em que o tempo não esteve famoso, mas até foi melhor, porque o S. Pedro pensou nesta grávida e não quis fazê-la sofrer com o calor. A vantagem de fazer férias em Junho é mesmo essa: não há sol a mais, as praias ainda estão desertas, conseguimos ir aos nossos restaurantes preferidos sem ter de marcar, nada de trânsito, nem hotéis cheios, nem filas de supermercado a abarrotar. É tudo feito com calma, como umas verdadeiras férias, feitas para relaxar (relaxar, relaxar, não é a palavra certa para férias com crianças...)
Nunca levamos babysitter, nem ajuda para os babies, sempre conseguimos tratar de tudo, sem stressar. A verdadeira dica é: Não são os Pais que têm de se adaptar aos filhos, mas sim os filhos que têm de fazer os horários dos Pais. Com isto não estou a dizer que nos podemos deitar às duas da manhã, não levar nada para comer ou beber na praia, ou nem sequer não ter horas para nada. O que eu quero explicar é que podemos facilitar um pouco, e se num dia os babies não almoçarem nada de especial, não fizerem a cesta, e lancharem um gelado e uma bola de Berlim, não é grave! Se estivermos tão bem na praia e se os miúdos conseguirem descansar debaixo do guarda-sol nas horas de maior calor, perfeito! Nada de dramatismos, nem de rotinas acertadas ao segundo. Afinal, férias são férias!!!
E desta vez, percorremos o Algarve. Ou melhor, os nossos lugares preferidos do Algarve. Desde a Carrapateira até Tavira, não ficou a faltar nada. As nossas praias de eleição, os nossos sítios do coração. Costumamos percorrer os turismos rurais mais giros de Norte a Sul do país. Mas desta vez, recomendo vivamente o Monte da Vilarinha, na Carrapateira. Perfeito com ou sem crianças, é o spot ideal para umas férias de sonho.
Amor a quadriplicar, água salgada, peixe fresco, areia nos pés. E vamos todos conforme as marés. Afinal, do que é precisamos mais para ser felizes?




































 

2 comentários:

  1. Boa noite, tem que fazer um post com dicas de como tirar chupeta, fralda de noite e biberão. Tenho um filho de dois anos e meio e outro caminho bjs

    ResponderEliminar