segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O Baloiço da Vida

A Vida, como os baloiços, tem alturas de pura adrenalina, outras de uma calma tranquila. Por vezes consegue ser bem agitada, mas eu confesso que a prefiro quase parada. Gosto da minha rotina, gosto de ser feliz com ela. Gosto de acordar de manhã e tomar o meu café. Gosto de sair de casa com filhos penduras, teimosias casmurras, tarefas e tralhas às costas. Gosto de almoçar todos os dias na minha Mãe e apertar os meus filhos com uma imensa saudade. Gosto de ver o Factor X ao domingo à noite. Gosto de adormecer a sentir o chá bem quente e a saber que tenho o creme Nivea lata azul na mesinha de cabeceira. Gosto de dormir com um livro debaixo da almofada, gosto de ouvir os meus filhos ressonar até de madrugada. Gosto destes rituais bem simples, que para muitos até podem não significar nada. Mas, então desde que fui Mãe, não quero outra coisa que não este balanço bem preso, que já ganhou raízes. Não quero voos muito altos, não quero empurrões nem sobressaltos. Quero estar sempre assim, lado a lado com os meus filhos. Cada um de nós com a sua visão, é certo, mas que se sintam sempre amparados por mim, sempre zelados por esta Mãe que tudo faz pela sua felicidade e bem-estar, acima de qualquer coisa. E que o Baloiço da Vida continue sempre assim, pendurado, ao sabor do vento, mas bem seguro, bem fadado.
 

6 comentários:

  1. Simplesmente lindo!

    babymf.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Lindo. Perdi ontem o meu querido avô, a dias de completar 102 anos e cheio de lucidez. Para mim, estes são dias difíceis e são as rotinas diárias ao lado do meu filho que me estão a ajudar a ultrapassar esta enorme perda. 100% de acordo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força Caco. Sei bem o que isso é. Perdi os meus dois Avós em 3 meses. Mas com o tempo vai lembrar o seu Avô com um enorme sorriso no coração. Beijinho grande.

      Eliminar